sexta-feira, 20 de abril de 2018

Braga, 1991/92 (principal)

Se calhar, demasiado simplista e com as distâncias entre ítens muito medidas a "olhómetro", mas como não vivo disto, tenho uns standards baixos para os meus desenhos e tendo em conta que só tive uma imagem para me orientar sobre a perfeição ou falta dela do resultado final, para mim está bom assim.
A única época do Braga com a quase-desconhecida (no que ao futebol português diz respeito...) Erima não foi particularmente marcante na história arsenalista: uma campanha irregular no campeonato, com algumas passagens pela zona de descida até terminarem a época 11º lugar (bem abaixo dos rivais vimaranenses) com dois empates e quatro derrotas no confronto com os "grandes", um percurso na Taça de Portugal que acabou nos quartos-de-final com o FC Porto, e um plantel onde pontificavam nomes como Carlos Carvalhal, a dupla Chiquinho & Chiquinho (Conde e Carlos, que uns aninhos mais tarde voltariam a encontrar-se no Bonfim), o "Attilio Lombardo brasileiro" de seu nome Cacioli e um jovem de seu nome Barroso, só dando alguns exemplos. O cargo de treinador passou por três pessoas: Carlos Garcia, José Manuel Gouveia e Vítor Manuel, consequência da época ruinzinha que o Braga teve. Muito longe de competições europeias e discussões de campeonatos como teria no século XXI...
Fonte: Futebol em Portugal

terça-feira, 17 de abril de 2018

Benfica, 2011/12 (Clássico na Luz)

Vou quebrar duas das minhas regras principais ( a de não apresentar nenhuma equipamento de uma equipa que que tenha sido visada nos últimos posts e a de não fazer camisolas recentes); mas como o web-log é meu e eu faço o que quiser, quero ver se alguém vai ter coragem de mandar vir comigo ou de chamar a Polícia da Internet.
Os equipamentos do século XXI, ao contrário dos de antigamente, que duravam anos e anos sempre sem alterações, mudam a cada época (o que torna fácil a sua datação mas quase impossível a reprodução da totalidade de todos eles, a não ser que um desparafusado tome conta desse empreendimento...), chegando mesmo a haver jogos com equipamentos diferentes, com patrocínio especial, com umas letrinhas a indicar em que jogo foi usado. O que hoje aqui figura é um exemplo disso mesmo, pois em vez de ostentar as letrinhas da TMN (sem fundo azul!) que era o patrocínio da camisola principal dessa temporada, o Benfica (e o FC Porto também) entraram no relvado da Luz com um rectângulo preto a publicitar o 4G da Portugal Telecom.
Agora, a pergunta que se poderão estar a fazer é: "Porque raio optaste por meter aqui este equipamento?!"
A resposta é simples e está relacionada com um fruto de forma oval, de cor esverdeada e amarela, cheia de pevides por dentro.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Vit. Setúbal, 1991/92 (principal)


Tendo em conta os exemplares já aqui apresentados das camisolas do Vitória das épocas anteriores, pode-se imaginar que este desenho não deu quase trabalho nenhum. E, realmente, até nem deu. O que deu mais trabalho foi mesmo descobrir se isto era mesmo assim...  cheguei a pontos finais a saber exactamente o mesmo. Só há uma foto da equipa dessa época que eu conheço (que é a que vai ali em baixo)... para além de um par de fotos do jogo da Taça de Portugal com o Benfica, em que jogam de calções verdes. Por isso, posso dizer que este desenho é a combinação de duas imagens - as que seguem em epígrafe.
Fonte: Futebol em Portugal
Fonte: Futegrafia

terça-feira, 20 de março de 2018

Vit. Guimarães, 1994/95 (principal)


Ao que parece, na temporada de 1994/95 houve muitos clubes a trocarem a Hummel pela Olympic já depois de os jogos começarem. Para além do Salgueiros (que já aqui foi incluído), o Vitória de Guimarães também começou a temporada com equipamentos da marca germano-dinamarquesa mas que, a um certo ponto da época (ainda no início?) passaram a usar camisolas e calções provenientes da companhia belga. E até 1997 os vimaranenses usariam Olympic.
Fonte: Glórias do Passado
Fonte: Glórias do Passado

segunda-feira, 19 de março de 2018

Alverca, 1998/99 (principal)

Tinha dito que gostava de fazer o equipamento de estreia do Alverca na I Divisão, mas sempre estive dependente do raio do logotipo da Somague, que por mais que procurasse só encontrava o actual. Hoje, por mero acaso, tropecei no que queria... e lá fui eu numa maratona de imagens e riscos e linhas e tentativas e erros até fazer algo que me deixasse minimamente satisfeito (HAHAHAHAHAHA!!).
Numa nota quase insignificante, este espaço lá voltou a ser relembrado no MaisFutebol. Até parece que ando a pagar a alguém para estas aparições (podem ficar descansados: não tenho dinheiro nem para mandar cantar um cego)...
Fonte: Lusa
Fonte: Lusa

domingo, 11 de março de 2018

Felgueiras, 1988/89 (secundário)

Sim, eu sei que tenho andado muito ausente deste espaço. O problema de ter muitos "burros para tocar" é que, eventualmente, alguns deles acabam por ficar para trás. Mas como o bichinho é mais forte, lá tenho de vir dar aqui uma voltinha e meter qualquer coisa, nem que seja algo muito básico e feito em menos de 5 minutos. Como o caso de hoje. Só pegar em duas ou três coisas já feitas anteriormente, juntar e presto!, Felgueiras. E da época de 1988/89, que das outras não faço ideia.


segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Benfica, 1996/97




Por muito que esta era seja parte de uma era que a maioria dos adeptos benfiquistas queiram esquecer, eu acho precisamente o oposto: há que a recordar para evitar que se voltem a cometer os mesmos erros. Posto isto não há muito a dizer, só mesmo sobre os desenhos em si, que já estão na prateleira há meses (por causa de outro objectivo meu entretanto cumprido) mas que só agora vieram aqui parar. E, tal como de costume, as do Benfica vieram em mais um lote, primeiro as das competições caseiras e, em baixo, as utilizadas na Taça das Taças - apesar das diferenças serem apenas no patrocínio.
E, para (não) variar um bocado, apenas  consigo apresentar uma imagem de exemplo...